Blog

Os temperamentos humanos

Você sabe o que são os temperamentos humanos? Conhecer sobre eles melhorar todas as relações, incluindo a que você tem com a sua criança

Por Danielly Magioni

 Existem quatro tipos de temperamentos e entender sobre eles melhora as relações
Existem quatro tipos de temperamentos e entender sobre eles melhora as relações

Você sabe o que são os temperamentos humanos? Por exemplo, sabe que, ao conhecer sobre o assunto, é possível melhorar todas as relações, incluindo a que você tem com a sua criança? Venha com a gente e descubra um pouco mais sobre o assunto.

Em primeiro lugar, é importante saber que Aristóteles e Hipócrates estabeleceram que existem quatro tipos de temperamentos humanos e que cada pessoa tem pelo menos um que predomina. Esses temperamentos são: colérico, sanguíneo, melancólico e fleumático.

Em resumo, quem é colérico tem um grande risco de ser explosivo; quem é sanguíneo normalmente é instável; o melancólico tem facilidade para cair na tristeza; enquanto que o fleumático pode se fechar e precisar que o outro o empurre.

“Não entender as coisas, levar para o lado pessoal tantos comportamentos que, na verdade, são características da pessoa, brigas, desencontros na comunicação. Eu costumo dizer que temperamento é idioma. Ou seja, você tem de falar a língua que o outro entende”, explica a especialista Isa Minatel, autora do curso Temperamentos da Criança ao Adulto (clique aqui).

Entendendo cada temperamento

Colérico

É um temperamento da raiva. Quem tem esse como predominante não está sempre com raiva, mas quando algo dá errado, quando não sai da forma que ele gostaria, é invadido pela primeira emoção, que é a raiva. É alguém que tem raciocínio rápido, fala com facilidade, também tem facilidade em estabelecer objetivos. Se não os alcança, se encontra obstáculos, quer continuar. É obstinado. É alguém que realiza, que faz acontecer. Que põe uma meta e vai seguidamente em busca dela.

Sanguíneo

Esse é o temperamento de uma pessoa alegre, dinâmica, que traz felicidade para o ambiente. Da mesma forma, é aquele que tem uma fala ativa, que conta piadas e faz brincadeiras. É, sobretudo, alguém feliz. É, também, o temperamento típico da infância. Por isso, o adulto desse temperamento parece um crianção na forma de brincar e de se relacionar. Essa pessoa traz leveza para o ambiente e também descontração. Fala com facilidade e reage rápido aos acontecimentos.

Melancólico

É uma pessoa mais tranquila e mais calma. Ao contrário dos temperamentos da raiva, que levam as pessoas a agir quando as coisas saem diferentes, os da tristeza, como o melancólico e o fleumático, têm a emoção que leva à estática, à calma, a pensar mais e não a agir. Normalmente, a pessoa prefere ficar sozinha, refletindo. Além disso, é mais fechada, extremamente afetiva, reflexiva, excelente para analisar os outros com os quais convive. É alguém que não fala muito, mas observa bastante. Que quer saber a causa das coisas, dos comportamentos. 

Fleumático

O indivíduo fleumático, que também recorre à tristeza quando algo não vai bem, é alguém que tem a capacidade de pacificar o ambiente. Acima de tudo, ele é um excelente mediador, é tranquilo e não se envolve nas discussões. Ou seja, acha que o problema não diz respeito a ele e prefere ficar de fora. E, com resultado, tem facilidade para mediar as relações e conseguir com que as pessoas cheguem a um acordo.

Por que você funciona desse jeito?

Muitas vezes a gente se pergunta “Por que foi que eu disse isso, meu Deus? Devia ter ficado de boca fechada”. Ou, o contrário, “Por que foi que eu não falei nada? Eu devia ter falado alguma coisa”. Você já presenciou situações assim? Já passou por isso? 

Na maior parte dos casos, você age assim por causa do seu temperamento. E o outro também. Sim! Existem algumas pessoas que colocam tudo pra fora, que não medem as palavras. São aqueles como o colérico e o sanguíneo.

Por outro lado, há pessoas que, mesmo quando deveriam falar, acabam se calando. Essas são do temperamento da tristeza. Como explica a Isa Minatel, quando algo sai errado, o primeiro sentimento que toma conta dessas pessoas é o da tristeza. São as melancólicas e fleumáticas, por exemplo.

Mas, a boa notícia é que é possível trabalhar os pontos de melhoria. Tanto em você, quanto na sua criança.

“Conhecer sobre temperamentos pode revelar, explicar muita coisa sobre quem você é, como você é e o por quê faz as coisas que você faz. Imagina que interessante: se conhecer mais e ter um mapa sobre você mesmo? Imagina ter consciência e conhecimento sobre como os outros são e por que os outros fazem o que fazem, por quê funcionam como funcionam?”, destaca Isa.

Crianças da raiva têm mais dificuldades de controlar as emoções
Crianças da raiva têm mais dificuldades de controlar as emoções

Guardar rancor ou deixar passar?

Guardar rancor, lembrar de uma ofensa ou deixar passar tem a ver com o temperamento da pessoa. Você sabia que dependendendo do temperamento da pessoa a ofensa fica lá dentro e demora pra conseguir ir embora? E que, dependendo do temperamento, a ofensa quase que fica só momentaneamente? 

Por exemplo, os temperamentos colérico e melancólico são os que mais guardam rancor. Enquanto os primeiros deixam claro que estão bravo, magoados, os melancólicos guardam veladamente. Ou seja, por fora está tudo bem, mas ainda estão se lembrando daquilo. 

Em contrapartida, os sanguíneos e fleumáticos quase não guardam rancor, deixam passar com mais facilidade. Por exemplo, os sanguíneos ficam bastante aborrecidos na hora e depois conseguem deixar passar. Enquanto que os fleumáticos quase não se aborrecem na hora e já deixam aquilo ir. 

Os temperamentos das crianças

Muitos pais e mães costumam criar expectativas em relação ao temperamento que os filhos terão. Só que pode acontecer de essas crianças virem justamente o oposto e, muitas vezes, as brigas em casa prevalecem. 

É por isso que se torna importante conhecer sobre os temperamentos humanos. Dessa forma, será possível alinhar as nossas expectativas em relação à criança. Além disso, ao entender sobre o temperamento do seu filho, você aprenderá a potencializar os pontos fortes dele e trabalhar as oportunidades de melhoria.

“Assim, se consegue equilibrar o temperamento. A criança tem muito mais chance de ser feliz e você também, já que vai esperar dela o que ela pode dar. Senão, é como plantar banana e querer colher maçã. Portanto, conhecer sobre temperamentos serve para saber quais são os nossos pontos de crescimento. Em outras palavras, a gente se trabalha e está preparado para ajudar o crescimento perfeito de nossa criança”, explica Isa.

Outro ponto interessante é que, ao entender sobre temperamentos, você vai saber qual é a melhor maneira de transmitir uma mensagem que seja realmente compreendida por sua criança e por todos de sua família. “Os benefícios de saber se comunicar sem a necessidade de gritos ou violência são inúmeros e facilitam as relações no dia a dia, bem como melhoram o ambiente e o vínculo familiar”, alerta Isa.

Saiba mais sobre temperamentos humanos

Cada um de nós tem um temperamento predominante e entender/aprender sobre isso auxilia, e muito, nas relações, principalmente com a sua criança. E é isso que o curso Temperamentos da Criança ao Adulto vai fazer.

Em resumo, esse curso ajudar você a descobrir os temperamentos de todos da sua família e, também, das pessoas de outras relações, e a lidar com eles, de forma a aumentar a harmonia entre irmãos, no relacionamento entre pais e filhos e até mesmo no casamento.

Você também pode se interessar por:

  • Hora de tirar a fralda

  • Sobre a educação não-violenta

  • Montessori: mudanças internas

  • Os benefícios da natação para os bebês

Saiba como os cursos do MundoemCores.com
mudaram vidas de famílias como a sua!

  • “Muito obrigada por vocês terem trazido tudo isso pra minha família”

    Flaviane finalizou o curso Montessori em Casa e começou a assistir às aulas do Educando com Disciplina Positiva. Ela conta como sua vida mudou após aplicar o que aprendeu nos vídeos.

    Flaviane Cintia de Avila Dutra

  • “Eu vi que é possível estruturar a casa para receber os filhos com o respeito que merecem”

    Greicy conheceu o curso quando buscava conhecimento para apresentar às seguidoras da sua fanpage, Mães no Comando, e revela que acabou mudando a sua forma de pensar. Ela disse já observar a transformação de suas filhas, depois da sua própria transformação.

    Greiciely Magno

  • “Você se prepara pra tudo na vida. Pra ser mãe, você não se prepara!”

    Carolina buscava orientação para dar uma melhor educação à filha Maria Clara. Viu no evento presencial realizado pelo MundoemCores.com, em Maceió/AL, uma forma diferente de lidar com a personalidade da sua filha.

    Carolina Lira

Siga nas redes sociais

FACEBOOK
INSTAGRAM
YOUTUBE