Quem disse que não existem regras em uma Escola Montessoriana?

BLOG

Quem disse que não existem regras em uma Escola Montessoriana?

Regras em uma Escola Montessoriana

Quem disse que em uma Escola Montessoriana a criança faz o que quer, na hora que quer, porque lá ela é livre e não precisa seguir regras? Na verdade, não é bem assim que as coisas funcionam não. E a gente vai te explicar como acontece. 

Em uma escola tradicional, o professor diz ao aluno o que ele deve fazer e o tempo que ele tem. E, na hora em que o sinal bate, normalmente não interessa se a criança já acabou a atividade ou não: ela tem de parar e entregar o exercício para o professor, porque já está na hora da próxima aula.

Para Maria Montessori, essa interrupção abrupta do trabalho da criança prejudica a concentração dela e obstaculiza o seu desenvolvimento.  

Por isso, em uma Escola Montessoriana, as crianças não são obrigadas a concluir todas ao mesmo tempo uma tarefa, para começarem outra logo em seguida. Muito menos a realizarem várias atividades em sequência por períodos muito curtos. 

Mas isso não significa que horários não devam ser respeitados. 

O diferencial em um ambiente de ensino baseado em Montessori é que, nele, as crianças têm as rotinas coletivas, porém também contam com momentos livres para fazer as atividades que querem, pelo tempo que desejarem.

E como isso funciona?

Na sala de aula, a criança é estimulada a construir o ritmo do aprendizado, a partir de seus interesses. 

Então existe um tema a ser estudado. Mas a própria criança decide a forma como quer trabalhar aquele tema, com o material escolhido por ela entre o disponível em sala. 

E há mais de um mesmo tipo de material por sala para atender a todo mundo? 

Não. É uma unidade de cada material para toda a turma.

Mesmo assim, a distribuição acontece de forma organizada: Quem vai usar o que agora? Onde? Como? As próprias crianças combinam previamente. Elas têm liberdade pra isso. 

Aliás, em uma sala de aula Montessoriana, o aluno não tem de brigar para sentar na frente ou no fundo da sala, porque ela já é projetada com espaços coletivos e individuais, de forma que as crianças possam circular livremente, manter contato umas com as outras e colaborar entre si. 

E o professor não interfere? 

O professor interfere só quando é realmente preciso.

Mas não com o objetivo de ditar regras, e sim, de incentivar as crianças a criarem as regras que trarão harmonia para o grupo. 

Além disso, esse professor atua menos como alguém que transfere conhecimento e mais como um mediador do aprendizado.

Ele deve ajudar as crianças na rotina, na descoberta de seus gostos e talentos. Afinal de contas, para Montessori a criança é quem deve ser a protagonista de sua história.   

Veja só o que mais a nossa Especialista Isa Minatel, do Curso Montessori em Casa, fala sobre o papel do professor na Educação Montessori:

O resultado de tudo isso é que em uma Escola com metodologia formulada nos princípios de Montessori, a criança desenvolve com muito mais leveza e criatividade a sua autonomia, a autodisciplina e a autoeducação, habilidades tão defendidas pela Maria. 

Mas de novo: as regras em um Escola Montessoriana existem.

E quem disse que não podem existir?

Quer saber mais sobre Montessori e o universo infantil? Então conheça a plataforma MundoemCores.com. Lá você também assistir a outros cursos online incríveis, que preparamos pra você. 

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn