BLOG

Qual é a relação entre Disciplina Positiva e o Método Montessori?

Qual a relação entre Disciplina Positiva e o Método Montessori

Você sabe qual é a relação entre Disciplina Positiva e o Método Montessori? As duas teorias têm em comum a forma como veem a criança e a sua educação

Muito se fala sobre algumas abordagens quando o assunto é educar uma criança. E não estamos falando apenas do ambiente escolar. Por exemplo, em casa, preciso escolher somente uma delas? O que elas têm em comum? Qual é a relação entre Disciplina Positiva e o Método Montessori?

Esses são dois temas de cursos do MundoemCores.com e muitos pais e mães nos questionam sobre qual seria a melhor abordagem ou quais seriam as semelhanças. Bom, para começar, é importante ressaltar que ambas apoiam a criança para que ela desenvolva a independência, a capacidade, o respeito, a cooperação, a empatia e a confiança.

Prova de que a relação entre Disciplina Positiva e Montessori existe é que muitas montessorianas utilizam a primeira como alicerce estrutural, como explica Fernanda Lee, autora do artigo “Alfred Adler e Maria Montessori, duas filosofias alinhadas”. 

Só para lembrar, as teorias de Adler e Rudolf Dreikurs foram base para a criação da Disciplina Positiva, esquematizada por Jane Nelsen e outros. E, ambos psiquiatras são contemporâneos de Maria Montessori, que foi quem criou o Método Montessori.

Paralelos entre a Disciplina Positiva e Montessori

O Simpósio AMS Traveling, Greensboro Montessori School – Construindo confiança, coragem e habilidade de vida através da Disciplina Positiva – traçou alguns paralelos entre as duas abordagens.

Por exemplo, as teorias de Adler e Montessori acreditam que cada criança é única e capaz de aprender. Por isso, ambos demonstravam respeito a elas uma vez que estão desenvolvendo quem virão a ser no futuro.

Desse modo, o respeito mútuo é essencial, pois a criança que é respeitada, aprende respeito. Ambas as teorias tendem a seguir a criança, pois ela está fortemente conectada com sua natureza e no seu espírito altruísta de ser. 

Sendo assim, ao seguir a criança, ao entender sobre o seu desenvolvimento, sabe-se que ela age baseada no desejo inato de aprender, que age de maneira curiosa, que tem o prazer de ajudar realizando tarefas e desenvolve a autodisciplina por meio da realização de trabalhos que tenham um propósito.

Autonomia como base para as duas teorias

Além disso, tanto Montessori quanto a Disciplina Positiva consideram a liberdade de escolha, espaço, tempo, movimento e de comunicação importantes para o desenvolvimento da autonomia. Mas, é claro, essa liberdade deve existir dentro de limites respeitosos e apropriados.

Nesse caso, quando os conflitos surgem, essa é uma excelente oportunidade para que a criança aprenda habilidades sociais. Ou seja, eles são usados para ensinar autocontrole, tomada de decisões, independência, autonomia etc. Da mesma forma, os erros são vistos como oportunidade de aprendizado.

Já naquela época, Montessori e Adler discordavam de que as crianças são tábulas rasas ou que não têm a capacidade da autodisciplina. Para eles, portanto, o excesso de controle, do uso de recompensas e punições acaba com as chances de os pequenos desenvolverem controle interno, criatividade, o senso de quem ela é como indivíduo único e singular.

Sendo assim, é possível utilizar as duas abordagens, que oferecem ferramentas a serem utilizadas com as crianças para que possamos extrair o melhor que puderem ser. E, se você quer saber mais, então precisa assistir aos cursos Educando com Disciplina Positiva, Montessori em Casa e Entendendo o Comportamento da Criança.

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn