BLOG

O que é o Método Montessori?

Provavelmente você já ouviu falar em quarto montessoriano. Mas, essa filosofia vai muito além disso. Saiba o que é o Método Montessori.

Você sabe o que é o Método Montessori? Essa abordagem, praticada em salas de aula de todo o mundo há mais de 100 anos, foi idealizada pela médica, cientista e educadora italiana Maria Montessori (1870-1952). Muito além do quarto montessoriano, em sua essência ela propõe que o objetivo da educação seja permitir o desenvolvimento ideal e natural da criança, respeitando, portanto, as suas necessidades.

De maneira resumida, o Método Montessori consiste em oferecer à criança a oportunidade de aprender, de encontrar a própria missão de vida. E, para que isso aconteça, entre outros pontos é necessário que o ambiente esteja preparado, que o adulto observe os interesses dessa criança e que sejam dadas possibilidades para que ela se torne independente, autônoma, responsável e capaz.

Em outras palavras, Maria Montessori afirmou que a prática é fundamental para o desenvolvimento do indivíduo. Ou seja, que esse desenvolvimento deve acontecer a partir da tentativa e do erro. O que só é possível, portanto, quando a criança tem autonomia. Para ela, a educação deve ser, simplesmente, uma ajuda à vida.

Por esses motivos, se você está se perguntando onde aplicar o Método Montessori, saiba que ele extrapola as salas de aula e chega às casas, às famílias. Isso porque Maria Montessori lança um novo olhar sobre o mundo pela perspectiva da criança. Aliás, é até comum afirmarem que foi Montessori quem descobriu a criança. 

“Montessori é observar a criança e buscar meios de desenvolver plenamente todo o seu potencial. O método tradicional forma pessoas de modo que todas sejam do mesmo jeito. Já em Montessori sabemos que todos somos diferentes e seguimos o interesse da criança. Assim, ela estuda com mais ênfase o que desperta mais o seu interesse”, explica Isa Minatel, autora do curso Montessori em Casa.

Como surgiu o Método Montessori?

Maria Montessori foi uma das primeiras mulheres na Itália a receber o título de Doutora em Medicina. Assistente da Clínica Psiquiátrica da Universidade de Roma, ela investigou os tratamentos aplicados às crianças com deficiência, que se misturavam aos pacientes adultos.

Após se dedicar a essas crianças e obter resultados excelentes, a italiana passou a estudar mais a fundo o universo infantil, criando um método educacional que ajudaria os pequenos a se desenvolverem em sua plenitude. Também estudou Psicologia e Filosofia e passou a iniciar a sua experiência educacional em 1907 com crianças sem deficiência. Por seu trabalho, recebeu prêmios e foi indicada ao Nobel da Paz.

Para quais idades o método é recomendado?

Maria Montessori fez um importante trabalho sobre a primeira infância. Hoje, sabe-se que o período de zero a seis anos de idade é fundamental para o aprendizado/desenvolvimento de habilidades que serão necessárias ao longo da vida. E a filosofia montessoriana permite justamente que essa janela de oportunidades seja aproveitada da melhor maneira.

Mas, é bom que se saiba o legado da italiana extrapola a primeira infância, se estende a todas as idades. Prova disso é que na década de 1920 Montessori voltou a sua atenção para a adolescência. Ela observou, por exemplo, que nesse estágio de desenvolvimento os alunos precisam de atividades que os ajudem a entender a si mesmos, a encontrar seu lugar no mundo e a florescer em cidadãos globais.

Montessori e a Neurociência

Para se ter uma ideia da importância do legado de Maria Montessori, hoje a neurociência já comprovou várias teorias desenvolvidas pela italiana. Para Steve Hughes, neuropsicólogo e pediatra, esse método potencializa certas funções do cérebro que ajudam a expandir o desenvolvimento cognitivo. Veja algumas comprovações, publicadas pelo site A Mente é Maravilhosa:

1. As mãos são o instrumento do cérebro

Por exemplo, Maria Montessori disse que as mãos são as ferramentas executoras da inteligência. Ou seja, o cérebro se desenvolve por meio de atividades manuais. Sendo, portanto, as mãos o seu instrumento.

Muitos e muitos anos depois, já se sabe que os recursos que o cérebro utiliza para processar os estímulos sensoriais através das mãos são sensivelmente superiores a outras parte do corpo. Por esse motivo, as mãos devem ter um papel fundamental no aprendizado.

2. A vivência natural potencializa as capacidades e competências da criança

Outra teoria de Montessori comprovada pela neurociência é a de que favorecer a vivência livre e natural potencializa as capacidades e competências da criança. Isso acontece, por exemplo, porque ela passa mais tempo em movimento, conseguindo um maior domínio das habilidades motoras, sensoriais, emocionais e cognitivas.

Montessori dizia que o cognitivo está ligado ao movimento. E, portanto, já se sabe que a prática permite que o aprendizado ocorra de maneira mais rápida e eficaz do que apenas a observação, como costuma ocorrer nas salas de aula tradicionais.

3. As funções executoras e Montessori

Muito antes de surgir o termo funções executoras, Maria Montessori já trabalhava o tema. Sabe-se que essas são habilidades cognitivas que nos permitem ser flexíveis, aceitar mudanças, se concentrar em uma tarefa, resistir aos próprios impulsos e reter a informação na mente, por exemplo.

As funções executoras classificam, então, todas essas habilidades em três categorias: inibição, memória de trabalho e flexibilidade cognitiva. Se essas funções não forem bem desenvolvidas, podem se diagnosticar erroneamente transtornos como TDAH ou outras dificuldades de aprendizagem.

Prova disso foi uma pesquisa publicada pela Capital Pediatrics Research Institute (https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20113610). Nela, crianças de 2 e 3 anos foram divididas em dois grupos: as que estudavam em escola Montessori e as que frequentavam a escola normal. Os resultados sugerem que aquelas educadas dentro da filosofia montessoriana apresentavam níveis de movimentos finos, capacidade de adaptação, linguagem e desenvolvimento de comportamento social significativamente maiores.

4. Os períodos sensíveis ou janelas de oportunidades na infância

Além disso, Maria Montessori observou que na infância aconteciam períodos sensíveis para o aprendizado. Nesses momentos reside um grande potencial neuroemocional e, por isso, a educação é primordial. Na verdade, é fundamental que no período entre 0 e 11 anos as crianças explorem o seu mundo de forma mais autônoma possível.

“Os períodos sensíveis foram uma descoberta de Montessori sobre a forma de aprendizagem das crianças. Ou seja, existem momentos essenciais para o aprendizado. Por exemplo, o andar. Se não acontecer entre 1 e 2 anos da criança, pode complicar. Portanto, esses períodos são passageiros e se a habilidade não for alcançada, pode se tornar difícil fazer isso depois”, explica Isa Minatel.

5. Os neurônios espelho como base do aprendizado

Por fim, foi Maria Montessori quem descobriu, por meio da observação, o conceito dos neurônios espelhos, especializados na imitação. Eles se localizam no lóbulo frontal e ajudam a absorver, através dos sentidos, as informações em torno da criança.

Mais sobre o Método Montessori

Portanto, devido ao seu trabalho de observação da criança, Maria Montessori desenvolveu um método que proporciona diversos benefícios. Entre eles, podemos citar: capacidade de tomar decisão, de concentração, liberdade, senso de justiça, controle do movimento do corpo, criatividade, capacidade de ser feliz, independência/autonomia, autodisciplina, amor por aprender, autocrítica e respeito.

Por todos esses motivos, o Método Montessori mantém a sua importância até os dias atuais em todo o mundo. Somente nos Estados Unidos, são mais de 5 mil escolas. E os grandes nomes da atualidade no que diz respeito à criatividade estão aí para comprovar a eficácia dessa filosofia.

Sim! Você sabia que uma pesquisa com mais de três mil executivos mostrou que grande parte deles teve educação montessoriana? Entre esses nomes estão os fundadores do Google, do Amazon, do Wikipedia. Ou seja, os pesquisadores concluíram que uma educação que estimula a liberdade de aprendizado favorece a formação de adultos inovadores. 

Bom, motivos não faltam para você conhecer esse método mais de perto, não é verdade? Então, venha saber mais sobre Montessori e como você pode aplicá-lo dentro de casa com a sua criança. Assista ao nosso curso Montessori em Casa.

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn