BLOG

“O da minha mãe é melhor.”

Frase do dia: O da minha mãe é melhor.

“O da minha mãe é melhor”: A gente não faz a menor ideia de quem seja o autor dessa frase. Mas, apesar de anônimo, ele acabou expressando a opinião de milhares de outros filhos mundo afora. 

Quem nunca comparou aquele bolo maravilhoso que estava comendo, com o feito pela própria mãe? E o pavê? A feijoada? O assado? E o pudim?

Você estava no melhor cantina da Itália. E, mesmo assim, saiu com a sensação de que aquele macarrão a bolonhesa que comeu por lá jamais será tão bom quanto o de casa. 

E por que isso acontece? 

Claro que a sua mãe pode ser realmente uma cozinheira de mão cheia. Mas o que faz com que aquela comidinha deliciosa dela seja indiscutivelmente a melhor do mundo PRA VOCÊ, tem muito a ver, na verdade, com as suas memórias afetivas. 

Memórias afetivas nascem a partir das (boas) sensações e lembranças que temos dos nossos dias de criança, em especial os vividos durante a primeira infância, que vai de 0 a 6 anos. 

Por exemplo: a forma como a sua mãe cozinhava quando você era pequeno, o tempero que ela usava e até o cheiro que ficava na casa, somados a outras doces recordações dessa época, sem dúvida contribuíram para que o cardápio dela hoje pareça único. E inesquecível. 

Mas memórias afetivas têm a ver só com comida? 

Não mesmo. A música que costumava tocar enquanto você brincava com os amigos na frente de casa pode despertar uma série de sentimentos guardados dentro de você. 

E que boas experiências o seu filho tem vivido hoje?

Pois quanto mais variadas e ricas elas forem, mais marcantes serão as lembranças geradas a partir delas. E se você fizer dessas histórias então?  Mais chances você terá de ouvir lá lá na frente um: “o da minha mãe é melhor!”. 

Portanto, aproveite! 

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn