Como reconhecer os sinais do autismo? - MundoemCores

BLOG

Como reconhecer os sinais do autismo?

Como reconhecer uma criança autista?

Como reconhecer os sinais do autismo? Muitas vezes esses sintomas podem ser observados desde os primeiros meses de vida. E o diagnóstico pode ser feito a partir de um ano e meio de idade.

Cada vez mais discutido no Brasil, o Transtorno do Espectro Autista (TEA) é uma condição neurológica que atinge crianças desde o nascimento e é caracterizado basicamente por dificuldades na comunicação/ interação com outras pessoas, interesses restritos e comportamentos repetitivos.

Uma coisa é observar, por exemplo, se desde pequenininha a criança faz contato visual com você, interage e responde ao chamar seu nome na idade em que normalmente faria.

Verifique ainda se a criança, no primeiro ano de vida, tem interesse maior em objetos específicos e não se dá bem com as novidades, do tipo não querer usar aquela roupa que você acabou de comprar na loja.

nas crianças maiores, pode ser mais fácil perceber os comportamentos repetitivos, como tomar vários banhos por dia.

E quanto à dificuldade em aprender a falar? Isso pode ser considerado um dos sinais do autismo?

Não necessariamente. Problemas nem sempre estão relacionados ao TEA. A Fonoaudióloga Juliana Trentini é uma das Especialistas da nossa Escola Online de Pais MundoemCores.com. E ela tem uma aula inteira falando sobre sinais de autismo em seu Curso Turbinando a Linguagem do Bebê, disponível em nossa plataforma.

Abaixo, você pode conferir o áudio de um trecho desse conteúdo, em que a Juliana fala sobre a relação do autismo com o desenvolvimento da fala.

Mas o número de casos de autismo está mesmo aumentando?

Existe uma discussão no meio científico a respeito disso, porém, por enquanto não há consenso quanto a estarem nascendo mais crianças com autismo ou se é porque se tornou mais fácil identificar esses casos.

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), o autismo é diagnosticado em uma em cada 68 crianças no mundo. Os meninos têm aproximadamente quatro vezes mais chances de desenvolver o espectro do que as meninas. Por isso, o azul é a cor de referência ao autismo.

Como é multifatorial, o diagnóstico do autismo pode ser difícil de ser fechado e o tratamento deve ser multiprofissional. Por isso, são feitas entrevistas com os pais e análises clínicas na criança.

Mas a participação da família é essencial no tratamento e na quebra de preconceitos com o transtorno.

Quer aprender mais sobre o período da Primeira Infância, que vai de 0 a 6 anos? Então conheça a nossa Escola online de Pais.

Quem tem Criança em Casa, tem MundoemCores.com.

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn