Blog

Como reconhecer uma criança autista

Ainda pouco discutido no Brasil, o Transtorno do Espectro Autista (TEA) é uma condição neurológica que atinge crianças desde o nascimento. O transtorno é caracterizado basicamente por dificuldades na comunicação e linguagem, na interação social e no comportamento. Esses sintomas podem ser identificados desde os primeiros meses de vida e o diagnóstico pode ser feito a partir de um ano e meio de idade.

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), o autismo é diagnosticado em uma em cada 68 crianças no mundo. Os meninos têm aproximadamente quatro vezes mais chances de desenvolver o espectro do que as meninas, por isso azul é a cor de referência ao autismo. Mas como saber se o bebê apresenta sinais do TEA?

  •    Observe se desde pequenininho ele faz contato visual com você, interage e responde ao chamar seu nome na idade em que normalmente faria;
  •    Verifique se a criança, no primeiro ano de vida, tem interesse maior em objetos ou não reage a brincadeiras. Crianças com TEA tendem a prestar mais atenção a objetos e a não interagir com as pessoas;
  •    Nas crianças maiores, é fácil perceber também comportamentos repetitivos, como tomar vários banhos por dia, por exemplo; além de agressividade, irritação, isolamento de outras crianças;
  •    A participação da família é essencial no tratamento e na quebra de preconceitos com o transtorno. Por ser multifatorial, o diagnóstico do autismo pode ser difícil de ser fechado e o tratamento deve ser multiprofissional. Por isso, são feitas entrevistas com os pais e análises clínicas na criança.

Você também pode se interessar por:

  • Como ensinar o valor do dinheiro aos meus filhos?

  • O papel dos avós na vida da criança

  • Introdução alimentar: conheça o BLW

  • Tem nota baixa no boletim. E agora?

Saiba como os cursos do MundoemCores.com
mudaram vidas de famílias como a sua!

  • “O curso nos fez entender como estimular a autonomia e a independência da nossa filha”

    Emanuelle e o marido passaram a entender aspectos de sua própria educação e a saber como, agora, agir com sua filha com objetivo de ajudá-la a se desenvolver. Ela afirma que os exemplos dados nas aulas facilitaram muito a colocar em prática tudo que foi aprendido.

    Emanuelle Rech

  • “Você se prepara pra tudo na vida. Pra ser mãe, você não se prepara!”

    Carolina buscava orientação para dar uma melhor educação à filha Maria Clara. Viu no evento presencial realizado pelo MundoemCores.com, em Maceió/AL, uma forma diferente de lidar com a personalidade da sua filha.

    Carolina Lira

  • “Trabalho com o Método Montessoriano e vejo como ele facilita o aprendizado da criança”

    Valéria é Orientadora Pedagógica de São Luiz do Maranhão e encontrou no curso Montessori em Casa uma forma de aumentar seu conhecimento sobre essa filosofia e se preparar ainda mais para transmitir seus ensinamentos às crianças com quem trabalha.

    Valéria Ferreira Santos

Siga nas redes sociais

FACEBOOK
INSTAGRAM
YOUTUBE