Blog

Como fazer um desfralde consciente

Nem sempre o desfralde ocorre aos 2 anos de idade. Esse processo depende do desenvolvimento infantil. Entenda como fazer um desfralde consciente

Por Danielly Magioni

Como fazer um desfralde consciente

Muita gente pensa que, aos 2 anos, todas as crianças precisam tirar a fralda. Se você é uma dessas pessoas, é muito importante que leia este texto para entender como fazer um desfralde consciente. Saiba, também, quais as consequências de tirar a fralda antes do tempo.

Para início de conversa, é preciso ter em mente que o período do desfralde pode ter início aos 18 meses, para algumas crianças, e ir até os 4 anos, para outras. E tudo bem! Isso porque esse processo depende do desenvolvimento infantil em três aspectos.

O primeiro deles é o motor, o segundo é o cognitivo e o terceiro é o emocional. Ou seja, seu filho pode muito bem entender que deve desfraldar, mas ainda não ter maturidade suficiente para controlar isso. Por exemplo, ele pode não ter o controle dos próprios esfíncteres. Fisiologicamente, é a partir de 18 ou 24 meses que a criança começa a ter o controle da saída da urina e das fezes.

Além disso, é importante saber que as crianças treinadas para usar o banheiro antes dos 2 anos têm o triplo de risco de desenvolver problemas de perdas diurnas, quando comparadas a crianças treinadas entre 2 e 3 anos. Por isso, a maioria dos pediatras defende esperar mais um pouco.

Consequências do desfralde antes da hora

Quem diz isso é o urologista e pediatra americano Dr. Steve Hodges, autor do maior estudo realizado nos Estados Unidos sobre transtornos de eliminação. Ele reuniu esse trabalho no livro “It’s Not Accident” (Não é Acidente).

Para ele, os problemas ocorrem porque os bebês e crianças pequenas ainda não desenvolveram o julgamento correto para responder aos impulsos de seus corpos. Após observar esses processos, ele percebeu que as crianças que treinam o desfralde mais cedo são muito mais propensas a atrasar a percepção do xixi.

E isso pode resultar em problemas. Por exemplo, quando elas seguram o cocô – preferem segurar para não interromperem o que estão fazendo -, as fezes tendem a se aculumar no reto, formando uma massa grande e dura que pressiona e irrita a bexiga. Com isso, a bexiga pode ficar irritada e esvaziar sem qualquer informação prévia.

Além dos acidentes, podem ocorrer infecções do trato urinário e enurese noturna, conhecida como xixi na cama. Por tudo isso, Hodges defende que se espere até os 3 anos de idade para iniciar o desfralde.

Observe a criança

Mas, pode ser que meu filho indique, antes dos 3 anos, que está pronto para deixar as fraldas? Sim, pode. E é por isso que se defende que os pais observem a criança. É ela quem decide o momento certo. Isso quer dizer que ela dará sinais quando estiver pronta.

Desse modo, especialistas defendem que se espere três etapas antes de iniciar o processo. A primeira delas é quando a criança avisa depois que fez o xixi ou o cocô na fralda. Já o segundo ocorre quando ela avisa no momento em que está fazendo. E, por último, o terceiro passo é quando ela consegue avisar antes de fazer. Aí, sim, ela está pronta para iniciar o treinamento.

Prepare o ambiente

Para auxiliar a criança durante o desfralde, é preciso adaptar o banheiro para que ela use. Já dizia a médica, educadora e pedagoga Maria Montessori (1870-1952) que um dos pilares para se educar filhos é ter um ambiente preparado. (Clique aqui para saber mais sobre o curso Montessori em Casa).

Mas, o que isso quer dizer? Que, antes mesmo de iniciar o desfralde, você deve adaptar o ambiente para que a criança tenha acesso. Por exemplo, coloque banquinhos para que ela alcance a pia e o sabonete, coloque redutores de assento no vaso sanitário e também escada ou banco para que seu filho se sente sozinho. (Clique aqui para entender melhor sobre a importância da autonomia).

Explique o passo a passo

Como assim? Nós, adultos, por vezes achamos que não precisamos ensinar nossos filhos a fazer coisas que, para nós, são fáceis e rotineiras. Porém, temos de entender que tudo é novo para os pequenos e orientar em todos os processos.

Assim sendo, fale com a criança qual será o passo a passo: abrir a tampa do vaso, sentar, fazer, usar o papel higiênico para se limpar, apertar a descarga, lavar as mãos e enxugar quando acabar. Uma boa dica é colocar no banheiro um desenho mostrando a rotina de usar o vaso.

E se o xixi escapar…de dia?

Dentro da filosofia Montessori, não se pune a criança. Isso porque ela tem a liberdade de agir (desde que não machuque a si mesma, ao outro e ao ambiente), mas ela também precisa lidar com as consequências de seus atos. Isso significa limpar o que sujou, por exemplo. 

E, em se tratando de desfralde, a consequência natural é fazer o xixi ou o cocô na roupa para que aprenda, com o treinamento, a utilizar o vaso sanitário. Ou seja, não é possível treinar a criança a tirar a fralda, usando a fralda. 

Mas, e como agir com ela nesses casos? Aja com naturalidade. Lembre-se de que seu filho está aprendendo e que acidentes podem ocorrer. Jamais brigue! Apenas oriente que ele se lave, se enxugue e troque de roupa. E somente ajude quando necessário. Afinal, Montessori foca na autonomia da criança.

Também tenha em mente que se você convidar a criança a ir ao banheiro, perguntando “Você quer ir ao banheiro?”, a resposta, provavelmente, será não. Uma vez que ela não vai querer parar o que está fazendo, o melhor é dizer “Está na hora de ir ao banheiro”.

E se o xixi escapar…de noite?

Antes de mais nada, tenha em mente que é normal a criança fazer xixi à noite até os 5 anos de idade. Após isso, você deve procurar um especialista para ter a certeza de que está tudo bem.

Para evitar que o xixi escape, evite dar muito líquido para seu filho à noite. E, como na dica anterior, jamais brigue com ele quando escapar! Isso porque isso acontece de forma involuntária. Sendo assim, acolha a criança e ajude-a com a higiene. 

E se a criança não estiver preparada?

“Mas, meu filho está com 3 anos e não dá sinais para o desfralde. O que eu faço?”. Nada! Desista do desfralde por um tempo, como explica nossa especialista Isa Minatel, autora dos cursos Montessori em Casa (clique aqui) e Temperamentos da Criança ao Adulto (clique aqui).

“Desistir não é regredir. É dar um passo atrás em respeito à criança. É sabedoria. Porque, quando forçamos, colocamos uma pressão grande em nossos filhos, podendo atrapalhar a autoestima, a autoconsciência e a autoimagem deles por não atender às expectativas dos pais. Por isso, desista e dê um tempo, mas fique atento aos sinais que a criança dá. Não existe ninguém saudável que use fraldas até adulto”, orienta.

Em resumo, evite comparar o seu filho com outras crianças. Pois, cada uma é única. Além disso, saiba que meninos e meninas costumam ter tempos diferentes para o desfralde. Embora não existam estudos científicos que comprovem isso, especialistas afirmam que as meninas tendem a desfraldar mais cedo, talvez por amadurecerem mais depressa. 

Desse modo, a dica principal é observar a criança. Como já dissemos, ela mesma dará os sinais de que está pronta para deixar de usar a fralda. E só então é que o pai e/ou a mãe poderão iniciar o treinamento. E, se quiser saber mais sobre como educar os seus filhos de uma maneira mais interessante, assista aos nossos cursos.

Você também pode se interessar por:

  • Tem um novo bebê a caminho!

  • Sobre o mau comportamento das crianças

    Quais as causas do mau comportamento das crianças?

  • Crianças interpretam atenção parcial como agressão

  • Meu filho voltou a fazer xixi na cama. O que fazer?

Saiba como os cursos do MundoemCores.com
mudaram vidas de famílias como a sua!

  • “Muito obrigada por vocês terem trazido tudo isso pra minha família”

    Flaviane finalizou o curso Montessori em Casa e começou a assistir às aulas do Educando com Disciplina Positiva. Ela conta como sua vida mudou após aplicar o que aprendeu nos vídeos.

    Flaviane Cintia de Avila Dutra

  • “O curso nos fez entender como estimular a autonomia e a independência da nossa filha”

    Emanuelle e o marido passaram a entender aspectos de sua própria educação e a saber como, agora, agir com sua filha com objetivo de ajudá-la a se desenvolver. Ela afirma que os exemplos dados nas aulas facilitaram muito a colocar em prática tudo que foi aprendido.

    Emanuelle Rech

  • “Você se prepara pra tudo na vida. Pra ser mãe, você não se prepara!”

    Carolina buscava orientação para dar uma melhor educação à filha Maria Clara. Viu no evento presencial realizado pelo MundoemCores.com, em Maceió/AL, uma forma diferente de lidar com a personalidade da sua filha.

    Carolina Lira