BLOG

“A educação não pode ser delegada somente à escola. Aluno é transitório. Filho é para sempre.”

“A educação não pode ser delegada somente à escola. Aluno é transitório. Filho é para sempre.” Içami Tiba

“A educação não pode ser delegada somente à escola. Aluno é transitório, filho é para sempre”. O que o Psiquiatra e Educador Içami Tiba quis nos dizer com essa frase?

Em primeiro lugar, que educar é papel dos pais. Eles são o modelo para o comportamento dos seus filhos. 

Sem dúvida, na escola a criança também vive experiências que estimulam sua socialização, tolerância, organização, e outros aprendizados, além da formação para o seu futuro profissional. Porém é na família que se constrói a base para o desenvolvimento.

Mas Içami também lembra que aluno é transitório. Ou seja, hoje faz parte do quadro discente da escola. Já amanhã ele não estará mais lá, só que continuará sendo o seu filho, em um relacionamento poderá durar por muitos anos ainda.

“A educação não pode ser delegada somente à escola. Aluno é transitório, filho é para sempre”.

Portanto, precisamos abraçar essa missão, que é nossa, de educar os nossos filhos.

É uma tarefa fácil? Não.

Mas é justamente por isso que a gente insiste: é preciso estudar para ser mãe/ pai.

Escute só o que a nossa Especialista Luciana Mota, do Curso Desenvolva seu Filho Brincando, fala sobre isso no áudio abaixo:  

Com presença, respeito, afeto e bons exemplos, é possível construir um relacionamento harmônico e de longo prazo com os filhos. E os bons frutos disso nós veremos lá na frente.

Saiba mais sobre Içami Tiba

Içami Tiba, Psiquiatra, psicodramatista, colunista, escritor de livros sobre Educação, familiar e escolar, professor e palestrante brasileiro criou a Teoria da Integração Relacional, que facilita o entendimento e a aplicação da psicologia por pais e educadores.

Sua especialidade era a psicoterapia para adolescentes e suas famílias. Para Içami Tiba, a maior parte dos problemas psíquicos dos adolescentes pode ser atribuída ao comportamento de seus pais, quando eles próprios agem como adolescentes. Esses pais, na expressão criada pelo médico, estariam vivendo numa fase de “adultescência”. Fonte: Wikipédia

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn